24.9.17

D. Manuel Martins

D. Manuel Martins faleceu. O PS tinha com ele uma relação contraditória, muito marcada pelos conflitos nos anos 80. Mas era um homem que levava a sério o seu vínculo com o combate à pobreza e o compromisso social da igreja a que pertencia, do Cristo em que acreditava.

Fiquei, de quando me cruzei com ele, com a memória de  alguém que devia ter dificuldades com as hierarquias e que pretendia ser livre nas suas opções, que dizia o que achava necessário dizer. E também de uma pessoa com um bom-humor que acho sempre ser sinal de inteligência. 

Calou-se uma voz forte no compromisso social. De uma força que não tem muitos herdeiros, se algum tiver, na hierarquia de hoje.

3 comentários:

Lutegarda Maria Aleixo Marquez disse...

Apesar de não ser católica, reconheço nele um homem apaixonado pelo que fazía, sempre disposto a ajudar e com uma palavra de conforto,para quem o procurasse.
DEP.

Mary LOU disse...

Sem dúvida meu querido amigo Paulo Pedroso, que D.Manuel deixa alguns "herdeiros" conscientes da verdade e dos valores que esse Cristo nos deixou. Alguns sacerdotes e bispos mesmo parecendo silenciosos e não tendo a forma de ser do sr. D. Manuel, não ficam calados ou distantes dos mais pobres e oprimidos, bem como no seu silêncio que fala de outras maneiras, nas lições de vida, no compromisso que firmaram com padres e bispos portugueses e do Mundo, muito nos têem ensinado. Eu fui uma preveligiada, pois desde muito pequena abracei um movimento que um simples e jovem padre filho de um mineiro pobre, deixou para os jovens, não apenas as palavras mas a acção que marcou todos os dias das nossas vidas. A JOC/F e CARDIJN ensinou-nos a VÊR - ANALISAR e sÓ depois AGIR e foram estas 3 mensagens díficeis mas concretas e maravilhosas que nos levou a andar pelo país, a conhecer o Mundo, e no tempo do fascismo, a luta convidava-nos e não ficar parados. Hoje há alguns bispos que mais silenciosamente seguem estes caminhos e o Papa Francisco em cada dia nos deixa Lições de Vida. Há muitas coisas que não se sabe, porque não fizémos campanhas parecidas com as dos partidos, mas a cada um o seu dever e o seu compromisso. Que ninguém cale a verdade, que ninguém finja o que não é e que a Solidariadade e o Perdão sejam dois valores que postos em prática por cada um de nós, serão dois pilares para acabar a GUERRA e as guerras de quem tantos são vítimas. Nunca me esqueci de si, e há coisas que se fizeram, mas não tínhamos atrás de nós esta Com. Social, que gosta tanto de se ouvir, falando dos outros... Abço amigo de sei que tem mais dois meninos a Madalena e não me recordo o nome dele. Mas a Beatriz que deve estar muito grande essa esteve sempre no meu coração e no meu compromisso de tentar analisar a verdade e a mentira que tanto e ainda tanto nos faz doer.Obrigada por tudo o que escreve e nos faz refletir.

Mary LOU Ben disse...

Olá Dr. Paulo Pedroso. Eu escrevi um longo comentário, que me levou a vários anos atrás em que sempre estive ao seu lado, mesmo no silêncio e na distância. Não fiquei com cópia do que escrevi, mas saiu ao sabor do tempo e das memórias que registamos no coração. Gosto muito do que escreve e sei o muito que oferece de si a outros espalhados pelo mundo. Sigo-vos, não para entrar nas vossas vidas, mas porque o vosso exemplo e as vossas lições de Vida são um forte alicerce para ajudar as nossas vidas. Sou uma mulher de Fé e poderia talvez ser sua mãe. Percebi quando há tempos nos transmitiu que "tinha deixado a política" Eu julgo que entendi, mas quando vejo a Dra. Ana Catarina Mendes, e a sua forma frontal e tão sincera de expor as coisas, sinto-me feliz, pelos dois, pois ela seguiu a sua caminhada e sempre nos oferece Lições de Vida. Sei que tem uma Madalena e um menino que não recordo o nome. Mas, acredite que sempre trouxe no coração a sua Beatriz, que deve estar uma adolescente. Na minha Fé talvez simples, mas sincera, sempre a recordava e na minha forma de ser e amar pedia ao Deus em que acredito por ela que era tão pequena e sofreu a maldade humana. Hoje e agora sinto-me feliz por vós todos e do fundo do coração, acredite que nunca vos esquecerei, Abraço amigo da Marylou