3.11.17

Os heróis de que Espanha não necessitava

Não é a primeira vez que Espanha prende políticos independentistas. Mas no caso da Catalunha há uma diferença fundamental. É o recurso à prisão para reprimir uma disputa que foi mantida no quadro da luta política e pacífica.
As prisões devem ser muito provavelmente constitucionais e legais. Mas são o ultimo de uma série de erros mútuos na gestão do processo. E não vejo como pode Espanha querer manter as pulsoes nacionalistas num quadro pacífico pelo uso destas armas.
Na Catalunha não há insurreição armada nem guerra civil. Mas sem a libertação dos presos de ontem também não há liberdade para a expressão de ideias políticas que talvez sejam minoritárias e talvez não, mas são seguramente merecedoras de apoio popular.
O governo de Rajoy já conseguiu transformar uma crise política numa séria ameaça à liberdade. Oxalá as instituições espanholas percebam que não é assim que se gere o nacionalismo e estudem os casos da Escócia e dos anos mais recentes da Irlanda do Norte, em vez de seguirem o caminho da repressão pura e dura.

24.9.17

O Expresso e o relatório secreto sobre Tancos

No caso do relatório secreto, o Expresso manteria a sua credibilidade se desmentisse os que já o desmentiram e demonstrasse que tem um documento autêntico ou assumisse responsabilidades jornalísticas por erro tão clamoroso. 
Qualquer varredura do assunto para debaixo do tapete de umas meias-palavras e umas semanas passadas coloca-o ao nível do jornalismo que come e amplia acriticamente o que lhe dizem se achar que vende e nesse caso até pode chamar Otávio Ribeiro para diretor, porque já não será digno da sua história.