18.11.18

A excitação do IVA das touradas

O PS anda dividido e o país político exaltado com o IVA da tourada. Uns dizem que é uma questão de civilização. Outros, que é uma questão de liberdade. Mas não alcanço como pensam assim uns e outros. Aceitamos  a barbárie, cara amiga e Ministra, se pagar 13% ou mesmo 23% de IVA em vez de 6%? Não somos livres hoje, caro amigo e camarada Manuel Alegre, porque não paga taxa mínima ou deixamos de o ser amanhã se pagar mais que outros espetáculos?
Os exageros retóricos fazem parte da luta política, mas estes roçam o patético. Indiscutivelmente, o governo quer diferenciar a tourada face a outros espectaculos e, sem dúvida, alguns querem proteger este espectáculo, tornando-o mais acessível aos consumidores. Posições ambas legítimas.
Na verdade, foi o Governo que levou a questão para um terreno a meu ver errado. Preferia que tivesse havido um discurso que assentasse na defesa dos espectáculos cujo IVA se reduz, assumindo que não se quer promover a tourada - e haveria muitas razões para o fazer - do que no ataque àquele cuja taxa se mantém, criando em torno do IVA uma batalha política sobre valores fundamentais e uma tempestade desnecessária. Há diferenciação de taxas de IVA entre bebidas alcoólicas, porque não entre espectáculos? O IVA não se diferencia só nem sobretudo por gosto e por debate civilizacional, diferencia-se por opção política.
Se fosse deputado votava ao lado do Governo, porque não entendo que haja motivo para proteger este espetáculo na lista de bens essenciais. Mas também viveria bem com uma discordância sobre a taxa de IVA de um certo serviço. Aliás, a tabela de IVA está cheia de sinais contraditórios e inconsistentes, de acordo com a capacidade de afirmação de grupos de interesses em cada momento.
Se o grupo de interesse da tourada ganhar a batalha do IVA não vejo a barbárie a avançar e se a perder não vejo a liberdade ameaçada. Mas parece que não acompanho a visão de longo alcance dos nosssos melhores pensadores.
Estou pronto a defender o direito de ir à tourada, sem ser aficionado e para me opor a que a proibam, por uma questão de liberdade. Mas também para dizer que não vejo porque há-de beneficiar da taxa de IVA reduzida.

7 comentários:

Rui Moura disse...

Perfeito! Trapalhices desnecessárias. Abraço.

anad disse...

Eu não tenciono ir a nenhuma tourada pois tenho o direito de não gostar de ver este espetáculo horrendo. E quanto a IVA não deve descer NADA.

Diogo Franco disse...

Até que enfim: simples e na escala justa. Obrigado.

António Anastácio disse...

Cada vez mais se sente a sua falta, caro amigo Paulo. Abraço

Ulisses disse...

Aqui está a lógica e a racionalidade necessária. Até porque esvoaçam emoções a solta que nada ajudam

Carlos Pinheiro disse...

E anda o país a perder tempo com trocos quando os problemas reais e conhecidos na Saúde, na Educação, na Segurança andam de herodes para pilatos. Isto é só um forma habilidosa de entreter e distrair o pessoal dos problemas concretos do país. Não viram o que aconteceu ontem em Borba? Não viram o que aconteceu na Ponte de Entre-os-Rios? Não viram como está a ferrovia, os comboios e os barcos do Barreiro e de Cacilhas? Não viram as dividas dos hospitais? Não viram o problema das SCUTS? E as touradas servem de facto para nos distrair dos problemas concretos...

Luís Lavoura disse...

Muito correto. Totalmente de acordo.